“Somos determinadas, focadas e, quando decidimos fazer algo, vamos atrás”, afirma Carla Carvalho, gerente geral da Tech Data Brasil

Nasci em Rio Grande, Rio Grande do Sul há 55 anos. Sempre gostei muito de estudar, principalmente Matemática e Física. Adoro entender o porquê das coisas, para mim tudo tem que ter uma lógica. Também gostava muito de esportes e, por isso, me formei em Educação Física. Cheguei a dar aulas de ginástica e musculação.

 

Mas também fiz uma segunda faculdade: a de Engenharia na UFRGS. Me formei em 1988 e fui fazer um intercâmbio na Noruega, pois queria participar de grandes construções, o que era praticamente impossível no Brasil para uma mulher. Lá trabalhei em uma empresa na área de construção de túneis, barragens, plataformas de petróleo e pontes. Quando retornei ao Brasil, fui atrás de programas de trainees em grandes empresas pois havia colocado em minha cabeça que queria uma carreira em multinacional. Apliquei para três processos e acabei sendo aprovada na IBM e no Citibank.

 

Optei pela IBM, onde participei do programa com outras 60 pessoas recém-formadas, durante um período de 7 meses. Foi assim que me apaixonei pela Tecnologia. Acho que tive sorte em trabalhar em uma grande empresa como a IBM. Fiquei lá por 24 anos, viajei por diversos lugares, conheci muita gente, morei em 2 países diferentes, ganhei prêmios…enfim, tive acesso a muita coisa bacana que, se não tivesse mergulhado nesta área, certamente não teria acontecido.

 

Mas também passei por algumas situações em que aprendi a ter “jogo de cintura” e conseguir me impor como profissional. Diria que o maior desafio na carreira de tecnologia sempre foi – e ainda é – o fato de ser mulher. Sempre precisamos provar que temos as qualificações necessárias para as posições que assumimos ou concorremos.

 

Ainda que muito veladamente, ainda existem restrições para as mulheres na tecnologia. Sou muito competitiva e movida por desafios, por isso, quando sinto as restrições, me motivo ainda mais a fazer melhor. Não gosto de ser tratada como minoria e nem como um número para empresas que querem promover a diversidade.

 

As mulheres têm algumas características que vejo como positivas para a carreira em Tecnologia. Somos determinadas, focadas e, quando decidimos fazer algo, vamos atrás. Além do lado humano, que é muito importante nessa área. Percebo cada vez mais que este balanço feminino está sendo valorizado.

 

As empresas de tecnologia não necessitam apenas de pessoas que trabalhem em desenvolvimento de aplicações ou programação. Existem várias carreiras dentro da área de Tecnologia. Mas é importante saber que, seja qual for, é preciso ter dedicação intensa, praticamente 24 horas por dia conectada, o que faz com que tenhamos que nos policiar e garantir  “worklife balance” ou tempo com família, filhos e até com a gente mesma.

 

Mesmo assim, eu tenho muita paixão pela carreira de tecnologia. Afinal, é através dela que acontecem as transformações e evoluções no mundo em que vivemos. Tecnologia é inovação. Novos produtos surgem o tempo inteiro, para melhorar ainda mais a vida das pessoas e das empresas.

 

E, atualmente, o acesso à tecnologia vem desde cedo. Vemos crianças mexendo com aparelhos celulares e aplicativos, tanto meninos como meninas. Alguns já desenvolvem games ou mesmo aplicativos para celular. Hoje, temos exemplos inspiradores, já que grandes empresas de tecnologia são comandadas por mulheres, como a Oracle, o Youtube e a Apple. Por isso, se você gosta de tecnologia é preciso acreditar em suas capacidades e não desistir nunca, não importa o quanto tentem desestimulá-las!!

 

Para saber mais sobre Carla Carvalho, veja seu LinkedIn:

https://www.linkedin.com/in/carlacarvalho2015/