“A carreira de tecnologia abre portas que nem imaginamos”, conta Juliana Rastrello, Vice Presidente de Serviços de Cloud & Infraestrutura da Capgemini

Comecei a trabalhar desde muito cedo, aos 14 anos, pois na época era necessário para que eu pudesse ajudar com os gastos em casa. Quando estava terminando o Ensino Médio, estava muito preocupada em fazer faculdade, pois para mim era importante ter uma formação e me inserir adequadamente no mercado de trabalho. Porém, eu não tinha muitas opções, pois sabia que não conseguiria passar em uma universidade pública e quase todas as particulares eram muito caras. Encontrei, então, uma oportunidade no programa escola da Família, onde o governo pagava meus estudos, em troca de trabalho voluntário nos colégios aos fins de semana.

 

Procurei a lista de cursos oferecidos e descobri que Tecnologia era uma área com muitas oportunidades e que iria me proporcionar chances ilimitadas. Então, optei por embarcar nessa jornada. A faculdade de Sistemas de Informação foi desafiadora, os professores eram muito bons e a grade curricular conseguiu me trazer uma visão abrangente sobre diversos aspectos da sociedade, economia, além da área de TI. Em 6 meses de curso, logo consegui estágio e não parei mais.

 

Inicialmente conseguir conciliar tudo junto foi muito difícil. Era faculdade, trabalho e ainda o voluntariado obrigatório aos fins de semana. Foram anos difíceis devido ao cansaço e pouquíssimas horas de lazer. Quando eu já estava no segundo ano de faculdade, consegui sair do programa escola da família, pois eu já tinha condições sozinha de arcar com os custos da faculdade. Isso me ajudou muito a ter meus finais de semana livres e poder organizar mais minha rotina. Quando saí da faculdade, eu já tinha 3 anos e meio de experiência e estava ocupando uma posição de destaque em uma empresa multinacional.

 

Em TI, sempre há muitas oportunidades de trabalho. Esta carreira abre portas que nem imaginamos. Nunca me faltou emprego durante toda a minha vida. Quando tive minha filha, por exemplo, e fiquei um tempo fora do mercado,  fiquei com medo de não conseguir voltar ou me sentir muito deslocada. Felizmente as oportunidades apareceram. Logo me recoloquei e cresci muito, sempre conseguindo conciliar família e trabalho.

 

Por causa da tecnologia, eu já viajei para mais de 15 países, conheci diversas culturas diferentes, e tenho acesso ao que há de mais novo no mercado. A profissão é ampla. São muitas áreas diferentes com diversos níveis de conhecimento. É possível se envolver com todos os setores além de cobrir diversos aspectos que vão além da tecnologia, como: relacionamento com cliente, engajamento de equipes, treinamentos, processos etc.

 

O lado negativo é que a área demanda muitas especializações e você precisa sempre estar em constante aprendizado. Quem cuida de operações críticas, geralmente precisa estar de plantão a noite e aos finais de semana e isso pode ser ruim se não tiver controle. Para mim, os desafios do crescimento na profissão foram as diversas especializações necessárias, além de continuamente ter que aprender a lidar com problemas complexos, melhor trabalho em equipe e controle emocional.

 

Eu acredito que hoje é mais fácil se inserir no mercado sendo mulher. Antes tínhamos que provar com mais frequência nossos conhecimentos e o universo de TI era muito masculino. Diziam que mulher não era boa em exatas e também não tinham controle emocional para enfrentar problemas críticos e situações de conflito. Isso acabava por fazer com que tivéssemos que enfrentar a barreira da discriminação com frequência.

 

Hoje isso já mudou muito. As mulheres têm se unido mais e as empresas perceberam que elas são tão capazes como os homens. Com a evolução da tecnologia para uma entrega mais voltada ao negócio do cliente, a participação das mulheres e suas habilidades de comunicação tem sido um fator de sucesso. Por isso, vemos tantos programas de diversidade e inclusão, para justamente garantir que exista sim a mescla de gêneros e compartilhamento de diversos pontos de vista.

E eu, que sempre gostei de desenvolvimento humano e achava que a tecnologia não ia me oferecer esse contato com as pessoas, com o passar dos anos, fui me encontrando e aprendendo que o lado humano dentro de Tecnologia é muito importante. Consegui desenvolver projetos muito legais associados a esse tema dentro de TI.

Para as meninas que querem seguir carreira em tecnologia, eu diria que é uma área maravilhosa e que elas conseguirão realizar muitos sonhos na carreira. É uma profissão que oferece diversidade de escolha. Se você gosta de medicina, pode trabalhar com sistemas hospitalares, robôs cirúrgicos e etc. Se gosta de direito, pode desenvolver algoritmos importantes para tomada de decisão e estudo de casos. Se gosta de pessoas, pode entrar na área de treinamento e processos. Se quer trabalhar em outros países ou ter opção de trabalhar de casa, a área de tecnologia te proporciona isso com muita facilidade.

 

Por isso, não desista e não tenha medo! Nunca duvide da sua capacidade, siga seus sonhos e não pense que não consegue fazer algo só porque parece difícil ou complexo. Há muitas oportunidades legais que você pode estar perdendo por não tentar.

Para saber mais sobre Juliana Rastrello Paes de Almeida, veja seu LinkedIn:

www.linkedin.com/in/julianarastrello