Um olhar sempre atento ao desenvolvimento de pessoas – conheça Alessandra, COO Americas do Grupo TMF

Com o sonho de se tornar médica, Alessandra Almeida começou a trabalhar desde cedo para ajudar sua família. Como a carreira em medicina não se encaixava em sua realidade, a COO do Grupo TMF, dedicou-se a um colegial técnico em processamento de dados e enfrentou por muitos anos os desafios do mercado de tecnologia.

Sem abandonar o sonho do cuidado às pessoas, ela é atualmente responsável pela gestão de um grande time multicultural, e faz questão de garantir que todos de sua equipe explorem seu potencial ao máximo, com um olhar atento ao desenvolvimento de cada um.

Trabalhei com a Alessandra por quase dois anos na SAP e pude testemunhar sua dedicação, foco e compromisso com qualidade. Sob a liderança dela, foram implementadas várias práticas estratégicas na Companhia. Carisma é uma de suas marcas.

Com duas filhas ainda no ensino fundamental e equilibrando a vida pessoal e profissional, Alessandra nos contou um pouco sobre sua história e carreira em tecnologia.

Confira abaixo a entrevista!

Qual é sua Formação Acadêmica?

Sou formada em Administração de Empresas, com MBAs em Engenharia de Computação, pelo Mackenzie; International Business, pela Business School São Paulo e Toronto University – Rotmann School; e Finanças, Controladoria e Auditoria, pela FGV.

 

Porque escolheu uma carreira na área técnica? Teve influência da família?

De início meu sonho era me tornar médica. Porém, venho de uma família humilde e comecei a trabalhar bem cedo. Nessa época pensava em me dedicar a algo que representasse o futuro, trouxesse inovação e mudasse a forma como as pessoas trabalhavam, e, obviamente, pudesse me gerar uma renda para realizar meus sonhos. Assim veio a ideia de fazer colegial técnico na área de Processamento de Dados. E gostei! Percebi que tinha muita lógica e que gostava das “coisas estruturadas”. De início, fui programadora – atualmente chamamos desenvolvedora! –, analista de sistemas, responsável por equipes de desenvolvimento, e assim fui progredindo. 

O que a fez se interessar pela área de tecnologia?

A possibilidade de ver as vidas e os negócios se transformarem com o apoio e inteligência trazida pela tecnologia.

Na sua visão, qual é o lado positivo de ter carreira em tecnologia?

Participar desta transformação, aprender continuamente.

Diga uma palavra que define a carreira em tecnologia.

Atualização. 

Na sua visão, qual é o lado negativo ter carreira em tecnologia?

Não vejo lado negativo nenhum! Graças a este constante treinamento, hoje a pressão me afeta muito pouco.

 

 

 

 

Porém, no começo da minha carreira, sempre quando estava envolvida em algum projeto, a pressão e a compensação de eventuais atrasos de definição pela área de negócios acabava afetando os prazos da área de tecnologia e, automaticamente, nos tornávamos os responsáveis por retirar o atraso. Os prazos do meu time eram apertados e tínhamos que produzir mais, mais rápido, testar e “entrar em produção” com tudo funcionando perfeitamente!

O que diria para meninas em relação a seguir carreira em tecnologia?

Invistam em serem as melhores: estudem, aprendam idiomas, tenham curiosidade por testar coisas novas. Dediquem-se. Procurem cursos para desenvolver-se. Inspirem-se: busquem os famosos “ role models”, em minha vida tive e tenho vários. Compartilhem e troquem experiências.

Algum fato curioso de sua carreira que gostaria de compartilhar?

Acho que não é um fato curioso, mas relevante para compartilhar. Eu era boa em programação (desenvolvimento), mas percebi que gostava muito de pessoas. E gostava de saber como elas trabalhavam, em que sequência realizavam as suas atividades. E percebi que, na tecnologia, eu era o que denominavam “analista de sistemas”, ou “analista lógico de sistemas”, o que hoje é denominado “arquiteto de solução”. Eu adorava conhecer e idealizar todo o projeto, inclusive internamente, que era algo mais técnico, como estrutura de tabelas etc. Isso me permitiu ingressar em áreas como eficiência operacional, pois para que seja capaz de promover eficiências é necessário ter visão clara do antes para projetar um “futuro” melhor.

O que há e/ou houve em sua trajetória que considera especial e que gostaria de compartilhar com as meninas para encantá-las?

Graças à tecnologia eu pude conhecer vários países e trabalhar em diferentes setores econômicos. Trabalhei em centros de desenvolvimento no Brasil e no exterior. Atualmente, trabalho na área de Operações, com escopo Américas, o que me permite ter contato diário com várias nacionalidades, e minha experiência na área de tecnologia me permite ser mais precisa e assertiva nas decisões que tomo com meu time.

Mais algum comentário?

 

 

 

 

Façam o que gostam. Isso ajudará na motivação diária, no enfrentamento dos desafios, no prazer pelos resultados alcançados, para que sejam grandes profissionais.