Ione Coco é inspiração total de #SerMulherEmTech.

Olá!

Hoje terei a honra de compartilhar a trajetória profissional de Ione de Almeida Coco. Ione também faz parte do Grupo CIO Solidário, criado por Regina Pistelli. Ione e Regina são consideradas lendas no mercado de tecnologia brasileiro. Ambas têm um séquito de admiradores.

Ione trabalhou por dezenove anos na CPFL Energia, tendo alcançado a posição mais alta na área de tecnologia: CIO(Chief Information Officer – principal executiva de tecnologia da informação). E, não parou ai! Após sua experiência na CPFL, Ione percorreu uma trajetória de sucesso no Gartner, empresa multinacional de consultoria em tecnologia.

Há 14 anos, com o apoio do Gartner, Ione e um grupo de executivas organizaram um dos primeiros eventos de mulheres CIO do mercado Brasileiro. Desta semente, surgiu um grupo de executivas de todo o Brasil que existe até hoje.

Me encantaram, em especial, alguns aspectos do percurso profissional da Ione: o fato dela ser Física por formação e de ter sido voluntária do CISV . CISV é uma organização internacional que educa por um mundo mais justo e pacífico.

Ione contribuiu profundamente com o CISV: além de ser voluntária em Campinas por muitos anos, foi presidente do CISV Brasil.

O fato é que minha vida mudou, e muito, desde 2014, quando minha filha se envolveu em atividades do CISV da cidade de São Paulo. Participar do CISV foi um divisor de águas em sua vida: fortaleceu o olhar atento de minha filha sobre questões sociais, aumentou sua rede de amizades e ampliou seu universo. E, por tabela, também mudei.

Sem dúvidas o CISV é um agente de mudança da sociedade. E descobrir toda a contribuição de Ione ao CISV, ao longo de muitos anos, me fez admirá-la ainda mais!

Bem, vamos então à entrevista com Ione Coco! Aproveitem.

 

Ione, qual é sua Formação Acadêmica?

Sou Física com graduação na USP, com mestrado em Reatores Nucleares pela mesma Universidade e pós graduada em Administração pela Fundação Getúlio Vargas.

Decidi conscientemente abandonar a Física, mesmo após o mestrado, porque queria ter opções de mercado de trabalho. A opção por tecnologia foi natural já que minha tese de mestrado foi toda baseada em cálculo numérico com uso de computador, coisa rara em 1974.

 

Porque escolheu uma carreira na área técnica? Teve influência da família?

Não tive nenhuma influência familiar. Meu pai era administrador e advogado e minha mãe formada em Dietética na primeira turma (Dietética era como se chamava Nutrição anos atrás) mas parou de trabalhar quando se casou.

Porém, sempre tive muito apoio familiar para que tomasse as decisões que achasse melhores para mim.

O que a fez se interessar pela área de tecnologia?

Sempre gostei de exatas e de inovação e quando optei por tecnologia, computador era uma coisa muito nova.

Na sua visão, qual é o lado positivo de ter carreira em tecnologia?

É a dinâmica da área: não existem dois dias iguais. Cada projeto é uma nova vida. Você precisa se reinventar sempre, inovar e nunca parar de estudar. O mercado, em geral, resiste às crises e os salários são compensadores.

Diga uma palavra que define a carreira em tecnologia.

Dinâmica.

Na sua visão, qual é o lado negativo ter carreira em tecnologia?

Envolvimento e trabalho vinte quatro horas por dia, por sete dias…. É uma carreira muito envolvente e, por isto, é muito difícil nos desligarmos. Isto torna complicado, muitas vezes, equilibrar carreira com a vida pessoal, mas não impossível.

Como é a carreira em tecnologia para mulheres?

Exatamente igual à dos homens, com a diferença que os homens deveriam assumir um pouquinho mais os filhos. Acho que isto já tem ocorrido nas novas gerações.

Mas acho que o mercado de Tecnologia da Informação ainda é machista. A maior diferença, li em um livro, é que homem é promovido pelo seu potencial e mulher pela competência já demonstrada. Não sei se isto é só em tecnologia, mas em TI , sem dúvida, é fato.

Mercado machista não pode e não deve nos impedir de seguir adiante com nossos sonhos e objetivos.

 

O que diria para meninas em relação a seguir carreira em tecnologia?

É uma carreira bastante gratificante, cada novo projeto é um novo filho. É uma alegria imensa resolver os problemas de implantação ou suporte a sistemas e sentir que estamos ajudando a empresa e, como consequência, a sociedade a melhorar.

A sensação de ser útil profissionalmente não tem preço. É um mercado que resiste às crises e os salários são compensadores. Não tem monotonia.

 

O que há e/ou houve em sua trajetória que considera especial e que gostaria de compartilhar com as meninas pra encantá-las?

Minha trajetória chegando a Vice-presidente Latino América de uma multinacional americana, sendo Brasileira e mulher, sempre mostrando trabalho e sendo reconhecida procurando ser feliz e dar o melhor de mim em cada posição.

Ao longo de minha carreira cheguei a recusar algumas promoções por achar que não iria gostar da área.

Mais algum comentário?

Com dedicação e foco chegamos onde queremos, mas sem esquecer que nosso objetivo no dia a dia é ser feliz!