Não chovendo no molhado… Entrevista com Nadia Alencar

Se o ano corrente está difícil para o mercado de trabalho brasileiro, o próximo chegará sem ser diferente, projetam especialistas em recrutamento. Diante de um cenário econômico ainda com pouco movimento, o lema “fazer mais com menos” continuará a dominar a estratégia de gestão e o foco seguirá ajustado na busca por mais eficiência.

Sem dúvida, haverão oportunidades para substituição de negócios com tecnologia mais moderna, transição de modelos reais para negócios virtuais, muita conectividade, dizem os especialistas. Afinal, estamos vivendo a Era da Economia Digital.

Cabe lembrar que trabalhar com tecnologia vai muito além do que alguns costumam imaginar. Não são somente as empresas que trabalham neste segmento do mercado que precisam de profissionais de tecnologia. Por exemplo: grandes instituições bancárias precisam de especialistas em construção de sistemas digitais e segurança avançada e isso exige profissionais qualificados.

Mas não são apenas os bancos que precisam de trabalhadores. Praticamente qualquer empresa trabalha com informações e isso também cria um mercado sempre em ascensão.

Mencionar que a área de tecnologia oferece uma carreira sólida, pouco sensível às diversas crises globais, é chover no molhado….

Neste artigo quero mesmo é discorrer sobre como as habilidades desenvolvidas por quem exerce carreira na área de tecnologia, tais como o raciocínio lógico e a capacidade de estruturar as ideias são aplicáveis em praticamente todas as áreas empresarias.

Quem trabalha com tecnologia e não tem medo de mudanças, consegue transitar por outras áreas com desenvoltura. E assim abrir várias possibilidades.

E é essa característica da carreira que ressalto no meu quinto artigo do projeto #SerMulherEmTech – vamos encantar e inspirar? como uma grande vantagem da área.

Neste artigo entrevisto Nádia Alencar, que possui formação acadêmica na área, com carreira sólida na área de tecnologia em diferentes empresas e atualmente é CIO (principal executiva da área de TI) na Seguradora AXA, a maior seguradora do mundo.

Nádia é um formidável exemplo de profissional com carreira na área que, por um período de tempo, optou mudar a área e exerceu outras atividades com desenvoltura. Conheça a seguir um pouco mais de sua história:

1)    Nádia, qual é sua formação acadêmica?

Matemática, modalidade Informática, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestra em Engenharia de Computação pela COPPE da UFRJ.

2)    Porque escolheu uma carreira na área técnica?

A escolha ocorreu por eliminação. Eu sabia o que não queria fazer e como sempre gostei de matemática, escolhi fazer o curso de informática, que na época era uma especialidade da matemática.

3)    O que a fez se interessar pela área de tecnologia?

Quando ingressei na universidade, em 1978, informática e tecnologia em geral, era um assunto novo. Falava-se que seria a profissão do futuro e eu resolvi apostar.

4)    Na sua visão, qual é o lado positivo de ter carreira em tecnologia?

É uma carreira em constante evolução. Existe espaço para um sem número de especializações. Tem sempre algo acontecendo e tem lugar para vários tipos de profissionais.

5)    Na sua visão, qual é o lado negativo ter carreira em tecnologia?

Não vejo nenhum lado negativo. A carreira exige atualização constante, mas isso é extremamente positivo. Não há nada pior que a estagnação.

6)    Como é a carreira em tecnologia para mulheres?

A carreira já foi mais dura para as mulheres. Na década de 90, trabalhava-se muito de madrugada. Passar a noite trabalhando era lugar comum. Para quem tinha filhos era muito difícil. Hoje trabalhamos com mais planejamento e metodologia, conseguindo dessa forma, organizar melhor os eventos. Atualmente não vejo diferença na carreira para homens ou mulheres.

7)    O que diria para meninas em relação a seguir carreira em tecnologia?

Eu diria para não se intimidarem! Somos ótimas nessa área. Nossa capacidade de observar os detalhes sem perder a noção do todo, nos provê um importante diferencial. E mais, para todas que gostam de aprender, são curiosas e não tem medo de mudanças constantes, essa é a carreira a seguir!

8)    Algum fato curioso de sua carreira que gostaria de compartilhar?

Trabalhei  muitos anos em desenvolvimento de aplicações e fui gerente de TI. Sai de TI por quase 5 anos, trabalhando em operações e risco operacional.
Em 2010 fui convidada a voltar a atuar em TI, assumindo a posição de CIO de uma grande multinacional e estou na área desde então.
Quem vem de tecnologia e não tem medo de mudanças, consegue transitar por outras áreas com desenvoltura. Essa é outra grande vantagem da área.